Esclavismo hipócrita: "Los médicos cubanos tienen 'disposición de continuar' en Kenia pese a los sec

La dictadura cubana dijo este viernes que los médicos que mantiene en Kenia ...

Masacre en México Un grupo comando entró a los balazos a una fiesta: hay 13 muertos

Trece personas que participaban de una fiesta fueron asesinadas a balazos por ...

Bolivia: Evo Morales con las encuestas en contra. La oposición, envalentonada

A seis meses de las elecciones generales en Bolivia, el mandatario Evo Morales se ...

Reunião sobre “saída militar” para Venezuela nos EUA conta com presença brasileira

Depois de Donald Trump, presidente dos EUA, afirmar que contra a Venezuela, “todas ...

Notícias: Brasil
Reunião sobre “saída militar” para Venezuela nos EUA conta com presença brasileira PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Sábado, 20 de Abril de 2019 13:39

Depois de Donald Trump, presidente dos EUA, afirmar que contra a Venezuela, “todas as cartas estão na mesa”, os funcionários da Casa Branca têm trabalhado ativamente na busca de novas táticas que visem desestabilizar o governo de Nicolás Maduro. Apesar da última declaração do Grupo de Lima, que se reuniu essa segunda-feira (15), rechaçar uma intervenção militar no território venezuelano, as recentes ações do governo dos Estados Unidos têm sugerido uma intenção diferente.

Secretário de Estado americano Mike Pompeo (à direita) e presidente colombiano Ivan Duque se reúnem em Cúcuta, nesta segunda-feira (14) - Créditos: Foto: Juan Barreto/AFP

Durante a semana passada, mais precisamente no dia 10 de abril, cerca de 40 autoridades, entre elas, o embaixador brasileiro Carlos Velho, participaram de uma reunião em Washington D.C., com a pauta “Avaliação do uso da força militar contra a Venezuela”, convocada pelo Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS, na sigla em inglês) – uma think tank [tanque de pensamento, na tradução literal, uma entidade que reúne pensadores de determinada área] estadunidense, financiada por instituições, como: Banco das Américas, Chevron e Exxon Mobil.

 
Palocci bota boca no trombão e acussa Lula e o PT PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Jueves, 07 de Septiembre de 2017 13:11

Devastador o depoimento prestado ontem ao juiz Sérgio Moro pelo ex-ministro Antonio Palocci. Devastador para o PT, devastador para para as pretensões eleitorais do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2018 e devastador para quem ainda insiste em defender o indefensável.

Resultado de imagen para antonio Palocci lula da silva
Palocci é o primeiro (e mais graduado) cacique petista a romper a "omertà", o pacto de silêncio mafioso que protege Lula e tenta incensá-lo como vítima da Justiça. Ao contrário de petistas como o ex-tesoureiro João Vaccari ou o ex-ministro José Dirceu, Palocci resolveu negociar um acordo de delação premiada. Por isso, decidiu falar.

 
Chanel leva luxo a Cuba em desfile histórico que exclui os próprios cubanos PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Viernes, 06 de Mayo de 2016 11:44

a

Última actualización el Viernes, 06 de Mayo de 2016 11:55
 
HISTORIA DA NAÇÃO CUBANA: HUBER MATOS, COMANDANTE CUBANO PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Sábado, 03 de Agosto de 2013 15:48

Depois do trunfo de Fidel Castro em Cuba, o Partido Comunista por ele criado re-escreveu a Histotia da Ilha, detuprando fatos e hierarquizando o papel dos comunistas nos acotecimentos cubanos, coisa que na realidade nunca aconteceu.

Camilo Cienfuegos, Fidel Castro y Huber Matos entram en Havana em 1959

O Comandante Cubano Huber Matos, uns dos poucos chefes rebeldes de Sierra Maestra, escreve nestas páginas a verdadeira Historia de Cuba, onde destaca a força e o espíritu dos cubanos da época anterior à imposição comunista em Cuba, feita por Castro baseado na mentira de dizer, ao início da revolução, que "ele não era comunista". Na continuação a verdadeira Historia da Nação Cubana.

Última actualización el Sábado, 02 de Enero de 2016 13:07
 
Almagro responde acusações de Cuba e diz que não ouviu críticas (da ilha) a Trump PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Viernes, 24 de Febrero de 2017 14:25

Washington, 23 fev (EFE).- O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, disse nesta quinta-feira que não ouviu críticas dos governos de Cuba e da Venezuela em relação ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Resultado de imagem para luis almagro rosa maria paya

"Não escutei eles criticando Trump. E, sejamos sinceros, a OEA leva uma vantagem bastante grande nesse sentido", afirmou Almagro hoje, em Washington, em entrevista à Agência Efe. As declarações foram uma resposta do ex-chanceler uruguaio a Cuba, que acusou a OEA de manter um "silêncio cúmplice" enquanto "se expandem no hemisfério ideias isolacionistas e protecionistas, de deterioração ambiental, de discriminação religiosa e racial, de insegurança e a repressão brutal".

 
«InicioPrev12345678910PróximoFin»

Página 1 de 758