Machado Ventura frustra las expectativas de solución para la agricultura cubana ordenando "más repre

"Los alimentos, incluida la leche en polvo, no solo se encarecerán en el mercado ...

Detuvieron a tres sospechosos por el asesinato de los tres infantes de marina en Uruguay

La policía uruguaya detuvo este lunes a tres personas sospechadas de estar ...

Estados Unidos ofreció una recompensa de 5 millones de dólares por la captura de un funcionario vene

El gobierno de Estados Unidos dio un nuevo paso en su esfuerzo ...

Donald Trump dijo que movilizará “todos los recursos civiles y militares para terminar hoy con los s

Donald Trump anunció este lunes que desplegará las fuerzas armadas para contener ...

Coronavírus no Brasil, 1º de junho

Veja os dados sobre o coronavírus no Brasil nesta segunda-feira (1º), segundo levantamento ex...

A TV QUE RESISTE A CHÁVEZ PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Domingo, 31 de Enero de 2010 12:03

Mesmo proibida de ir ao ar, emissora tenta levar vida normal, em uma atitude adotada “por dignidade”, segundo seus funcionários

O repórter chega à entrevista coletiva. Esforça-se para tirar o máximo da fonte. Mas é ele o centro das atenções. Por que está ali? Para quê? Os colegas estão curiosos. E ele, acostumado a ser o autor das perguntas, a ser o mensageiro das declarações alheias, responde, constrangido com a inversão de funções: – Acima de tudo, por dignidade.

Ojornalista do caso acima trabalha na RCTV (conhecida também como RCTI, com o “I” de internacional), emissora de TV da Venezuela que o presidente Hugo Chávez tirou do ar na transmissão aberta em 27 de maio de 2007 e, uma semana atrás, da transmissão a cabo – que passara a levar o “I” . No caso da TV aberta, não foi renovada a concessão. No da TV a cabo, a emissora, de oposição ao governo, recusou-se a transmitir discursos do presidente, desrespeitando uma ordem oficial.

A palavra “dignidade” virou um mantra nos corredores da emissora. A RCTV trabalha a todo vapor. E praticamente para si mesma. É uma forma diferente de resistência ao arbítrio. Em vez das greves, a labuta. Em vez dos braços cruzados, mãos deslizando pelas ilhas de produção, segurando microfones e carregando câmeras.

A situação é atenuada pelos contratos em pleno vigor, que não podem ser rompidos pelos patrocinadores – e costumam ser assinados para um período de vários meses. E, também, pela venda de material a outros países, ávidos em saber notícias sobre o cotidiano venezuelano.

A RCTV acabou, de certa forma, exilando sua produção. As notícias têm sido vendidas para emissoras de Aruba, Bonaire, Curaçao, Trinidad e Tobago, Miami (EUA) e Colômbia (o canal Noticias Caracol). E também podem ser vistas na internet, nos sites http://rctv.net e http://elobservador.rctv.net.

Novelas continuam tendo seus capítulos gravados

A equipe do noticioso El Observador continua apurando informações em Caracas e no interior. Dentro da emissora, o corre-corre é o mesmo de sempre. E a prioridade, na semana passada, era noticiar o que fosse possível dos protestos contra o fechamento da emissora.

Mas não é só isso. Até mesmo as gravações de estúdio da telenovela Libres como el Viento (Livres como o Vento, em espanhol) não cessaram. A nova telenovela da emissora, Que el Cielo me Explique (Que o Céu me Explique), também continua com as tomadas externas a todo vapor. Quem quer ser milionário?, o programa de auditório, persiste – restrito ao auditório, é claro.

– É tudo muito estranho. Só somos vistos em alguns países. Aqui, produzimos para ninguém. Mas resistimos. E muito por dignidade. Vamos ver até quando – diz a Zero Hora Larissa Patiño, produtora da emissora.

Quem entra na sede da empresa estranha. O ambiente, em geral, é de tranquilidade. Isso tem uma explicação e uma personificação: a vice-presidente de Recursos Humanos da emissora, Anany Hernández, recebe diariamente os editores, repórteres, cinegrafistas e técnicos com algumas palavras de alento, sempre ao sabor dos acontecimentos.

– É um desafio resistir com dignidade, mostrar ao mundo o que está ocorrendo aqui. Seguiremos lutando para recuperar a liberdade de expressão neste país. Nossas forças saem disso – diz a editora do El Observador e do programa, também noticioso, Habla la Calle (Fala a Rua), Soraya Castellano.

Se você quiser falar com funcionários da RCTV, pode ter certeza: como comprovam as declarações acima, uma palavra é sempre dita. Dignidade.

Um compromisso assumido pelos profissionais da emissora é o de que Libres como el Viento seguirá sendo gravada. E Que el Cielo me Explique, a nova trama, está pronta para (não) ir ao ar já nesta semana. Tem cerca de 20 capítulos já gravados. Na quinta e na sexta-feira, as gravações foram intensas.

– É um compromisso – explica o produtor de Libres como el Viento, Jhonny Pulido.

E por quê?

– Por dignidade.

LÉO GERCHMANN
Última actualización el Domingo, 31 de Enero de 2010 12:10
 

Add comment


Security code
Refresh

¿Cambiará realmente la economía cubana t

Indicado en la materia

Por ELÍAS AMOR.-  Cuando existe un solo medio de comunicación oficial que se dedica a glosar los actos del Gobierno, la oportunidad del ciudadano de realizar un contraste de la realidad, queda ...

No habrá República sin pagar el precio d

Indicado en la materia

Por JAVIER PRADA.-  Las buenas noticias sobre el enfrentamiento a la pandemia han dejado la emergencia sanitaria en un segundo plano y abierto la conversación a otros temas de actualidad, más en...

O le abren vía al sector privado o habrá

Indicado en la materia

Por ROBERTO ÁLVAREZ QUIÑONES.-  En Atenas, a mediados del siglo IV antes de Cristo, Platón era el maestro de Aristóteles. El discípulo, sin embargo, tenía los pies más firmes en tierra qu...

HACIA LA RUINA

Indicado en la materia

Por José Roberto Guzzo.-  Son 150 millones los que pueden caer en la pobreza extrema si la economía mundial cae un 5% en 2020, el número más frecuente en las cuentas qu...

Crisis política en Brasil: ¿Hay peligro

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  La respuesta a la pregunta sobre el peligro de la izquierda en las próximas elecciones queda respondida, no hay peligro. La izquierda en Brasil es fuerte, pero no...

La economía cubana (y el castrismo) en c

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Demás estaría decir que es precisamente ahora el momento de mayor debilidad del castrismo en los más de sesenta años de opresión. Cualquier chispa podría hacer saltar po...

El Coronavirus: Los comunistas chinos co

Indicado en la materia

  Por Jorge Hernandez Fonseca.-  Varios médicos y enfermeras chinas alertaron de la potencial epidemia-pandemia. La responsabilidad del equivocado tratamiento que recibieron recae sobre las autoridades comunistas, prestas siempre a acallar toda ...