Los cubanos pagarán más por el agua aunque llegue dos veces al mes

Los cubanos pagarán más por el agua a partir de 2020 cuando ...

Argentina: Autorizan a Cristina Fernández de Kirchner a viajar de nuevo a Cuba para ver a su hija

El tribunal argentino que juzga por presunta corrupción a la expresidenta Cristina Fernández ...

Ledezma y María Corina Machado apelan a la fuerza como 'única opción' para expulsar a Maduro

María Corina Machado, Antonio Ledezma y Diego Arria de manifestaron una vez más ...

Dos buques petroleros son torpedeados al salir del Golfo de Ormuz. EUA acusa a Irán

El canciller norteamericano, Mike Pompeo, acusó a Irán de estar detrás de ...

General Santos Cruz é demitido por Jair Bolsonaro após conflitos

O Secretário Geral da Presidência da República, general Carlos Alberto Santos Cruz, ...

A TV QUE RESISTE A CHÁVEZ PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Domingo, 31 de Enero de 2010 12:03

Mesmo proibida de ir ao ar, emissora tenta levar vida normal, em uma atitude adotada “por dignidade”, segundo seus funcionários

O repórter chega à entrevista coletiva. Esforça-se para tirar o máximo da fonte. Mas é ele o centro das atenções. Por que está ali? Para quê? Os colegas estão curiosos. E ele, acostumado a ser o autor das perguntas, a ser o mensageiro das declarações alheias, responde, constrangido com a inversão de funções: – Acima de tudo, por dignidade.

Ojornalista do caso acima trabalha na RCTV (conhecida também como RCTI, com o “I” de internacional), emissora de TV da Venezuela que o presidente Hugo Chávez tirou do ar na transmissão aberta em 27 de maio de 2007 e, uma semana atrás, da transmissão a cabo – que passara a levar o “I” . No caso da TV aberta, não foi renovada a concessão. No da TV a cabo, a emissora, de oposição ao governo, recusou-se a transmitir discursos do presidente, desrespeitando uma ordem oficial.

A palavra “dignidade” virou um mantra nos corredores da emissora. A RCTV trabalha a todo vapor. E praticamente para si mesma. É uma forma diferente de resistência ao arbítrio. Em vez das greves, a labuta. Em vez dos braços cruzados, mãos deslizando pelas ilhas de produção, segurando microfones e carregando câmeras.

A situação é atenuada pelos contratos em pleno vigor, que não podem ser rompidos pelos patrocinadores – e costumam ser assinados para um período de vários meses. E, também, pela venda de material a outros países, ávidos em saber notícias sobre o cotidiano venezuelano.

A RCTV acabou, de certa forma, exilando sua produção. As notícias têm sido vendidas para emissoras de Aruba, Bonaire, Curaçao, Trinidad e Tobago, Miami (EUA) e Colômbia (o canal Noticias Caracol). E também podem ser vistas na internet, nos sites http://rctv.net e http://elobservador.rctv.net.

Novelas continuam tendo seus capítulos gravados

A equipe do noticioso El Observador continua apurando informações em Caracas e no interior. Dentro da emissora, o corre-corre é o mesmo de sempre. E a prioridade, na semana passada, era noticiar o que fosse possível dos protestos contra o fechamento da emissora.

Mas não é só isso. Até mesmo as gravações de estúdio da telenovela Libres como el Viento (Livres como o Vento, em espanhol) não cessaram. A nova telenovela da emissora, Que el Cielo me Explique (Que o Céu me Explique), também continua com as tomadas externas a todo vapor. Quem quer ser milionário?, o programa de auditório, persiste – restrito ao auditório, é claro.

– É tudo muito estranho. Só somos vistos em alguns países. Aqui, produzimos para ninguém. Mas resistimos. E muito por dignidade. Vamos ver até quando – diz a Zero Hora Larissa Patiño, produtora da emissora.

Quem entra na sede da empresa estranha. O ambiente, em geral, é de tranquilidade. Isso tem uma explicação e uma personificação: a vice-presidente de Recursos Humanos da emissora, Anany Hernández, recebe diariamente os editores, repórteres, cinegrafistas e técnicos com algumas palavras de alento, sempre ao sabor dos acontecimentos.

– É um desafio resistir com dignidade, mostrar ao mundo o que está ocorrendo aqui. Seguiremos lutando para recuperar a liberdade de expressão neste país. Nossas forças saem disso – diz a editora do El Observador e do programa, também noticioso, Habla la Calle (Fala a Rua), Soraya Castellano.

Se você quiser falar com funcionários da RCTV, pode ter certeza: como comprovam as declarações acima, uma palavra é sempre dita. Dignidade.

Um compromisso assumido pelos profissionais da emissora é o de que Libres como el Viento seguirá sendo gravada. E Que el Cielo me Explique, a nova trama, está pronta para (não) ir ao ar já nesta semana. Tem cerca de 20 capítulos já gravados. Na quinta e na sexta-feira, as gravações foram intensas.

– É um compromisso – explica o produtor de Libres como el Viento, Jhonny Pulido.

E por quê?

– Por dignidade.

LÉO GERCHMANN
Última actualización el Domingo, 31 de Enero de 2010 12:10
 

Add comment


Security code
Refresh

¿Adoptará Cuba el modelo chino?

Indicado en la materia

Por ROBERTO ÁLVAREZ QUIÑONES.-  Algunos lectores del artículo titulado "Cuba, a la tercera va la vencida", publicado recientemente en este diario, expresaron en el espacio para los comentarios que no están de ac...

EL CAPITALISMO: SUMMUM Y CULMEN DE LA DO

Indicado en la materia

Por Santiago Cárdenas.-  El capitalismo,todo lo contrario del socialismo, no tiene padres; no se construye; no necesita de ideólogos, nace espontáneamente en el devenir histórico y no  tiene  principios  morales. Es  im...

Planificación central de la economía, ¿p

Indicado en la materia

  Por ELÍAS AMOR.-  El régimen castrista anuncia el comienzo del proceso de elaboración del plan económico para 2020, el principal instrumento para intervenir en la economía estatal. La información en Trabajadores habla del ...

Por qué fracasan las conversaciones Madu

Indicado en la materia

  Por Jorge Hernández Fonseca.-  En la Venezuela de hoy, hay dos posibilidades: 1) Negociar con Cuba. EUA, el Grupo de Lima y Europa negociar con la Habana. 2) Organizar una fuerza ...

El fracaso de las conversaciones Maduro-

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  En estos encuentros se garantizarían los objetivos de Guaidó, pero el chavismo quedaría intacto y los intereses cubanos podrían encaminarse adecuadamente, además de resolver sus graves problemas in...

La mano de Cuba en las conversaciones ve

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Desde las fallidas negociaciones de la oposición venezolana con altos mandos de la dictadura madurista, ya se vio más o menos claro que los planes de la Ha...

La rebelión del 30 de Abril en Venezuela

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Los cubanos sabemos que la principal arma de los servicios secretos de la isla es la infiltración en las huestes enemigas. Por otro lado, es la contrainteligencia cu...