“Clandestinos”: El “al pan, pan y al vino, vino” Por Jorge Hernández Fonseca

Por primera vez en 28 años de exilio, me he sentido tratado ...

Comenzó el ejercicio militar conjunto entre las fuerzas armadas estadounidenses y colombianas

Fuerzas armadas de Estados Unidos y Colombia realizan este viernes el primero ...

Miles de venezolanos acompañaron a Juan Guaidó en un acto en la Puerta del Sol de Madrid

El presidente de la Asamblea Nacional de Venezuela, Juan Guaidó, encabezó este ...

Juan Guaidó recibió las llaves de la ciudad de Madrid: “Que yo esté aquí quiere decir que Venezuela

Juan Guaidó afirmó este sábado que hará “todo lo necesario para afrontar ...

Chefe do governo espanhol recusa reunião com Guaidó e pede diálogo com Venezuela

A atitude desencadeou uma tempestade política na Espanha, mas o chefe de ...

Liberdade de Lula aglutina oposição, aumenta polarização e acirra guerra de narrativas PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Lunes, 11 de Noviembre de 2019 12:18

Lula falou à multidão no lugar onde tornou-se sindicalista, há 40 anos, e projetou-se candidato presidencial, há 30. "Fiquei 580 dias sem ter com quem falar, agora quero falar", disse o ex-presidente. Disparou críticas a Jair Bolsonaro, a Sergio Moro, a Paulo Guedes e à Rede Globo. Lula comandou seu público que ria, se emocionava e gritava.

Image result for Liberdade de ex-presidente aglutina oposição, aumenta polarização e acirra guerra de narrativas"

A trilha teve muito samba, Luiz Gonzaga e Belchior. O discurso terminou às 15h45, quando outro ato começaria naquela tarde de sábado na avenida Paulista, 24 km dali. O clima na capital era de rock: "Que País é Esse?", da Legião Urbana, "Brasil", de Cazuza, e até "Aluga-se", de Raul Seixas, uma crítica aos investimentos estrangeiros.

 

 

De camisetas amarelas, os insatisfeitos gritavam contra STF e Lula. Em frente à Fiesp, principal palco das manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff, o caminhão de som do movimento Vem Pra Rua levanta bandeira única: prisão para os condenados em segunda instância. Nos discursos, um tom de "nem esquerda nem direita, mas anticorrupção", com poucas menções a Bolsonaro.

Mais adiante, em frente ao Masp, Tomé Abduch, líder do grupo Nas Ruas, afirmava que, por mais que Bolsonaro "não diga as coisas do melhor jeito", seu governo tem "conteúdo" e "está dando certo". Por ali também discursava Luciano Hang, dono das lojas Havan e notório apoiador do presidente, fazendo críticas diretas a Lula. "Ele está solto, mas não livre! Livres somos nós!", discursava o empresário.

Entre um carro e outro estava o MBL, no chão pela primeira vez. Pareciam mais uma bateria de faculdade cantando "Olê Olê / Estamos na rua para derrubar o PT" e "Se a PEC não passar / O bicho vai pegar". A PEC em questão é a PEC 410/2018, que pede prisão para condenados em segunda instância.

A noite caía e o movimento minguava. Assim como em São Bernardo, o momento de maior revolta e indignação foi quando apareceu o helicóptero da Rede Globo. Manifestantes xingaram em uníssono a imprensa e logo voltaram a dançar ao som de temas do rock nacional.

No palanque, Lula diz que Jair Bolsonaro governa para os milicianos do Rio de Janeiro. O atual presidente, em quatro tuítes sintéticos (entre 47 postagens, desde que Lula foi libertado), o xinga de "canalha". Lula endereçou o mesmo adjetivo para Moro. "A prisão de Lula e a eleição de Bolsonaro polarizaram o Brasil de uma maneira que nunca tinha acontecido no passado", diz Peter Hakim, presidente emérito do Inter-American Dialogue, em Washington (EUA), e especialista em política externa da América Latina. "O apoio popular que Bolsonaro teve nas eleições está declinando, e Lula sai da prisão no momento em que o governo passa por muitas dificuldades e alguns sucessos. A questão que fica é se há energia suficiente na esquerda para oferecer uma alternativa. Lula irá se inclinar à esquerda ou vai voltar para a centro-esquerda? Temos de ver se as pessoas estão dispostas a ouvi-lo. Mas ele irá recarregar a política brasileira por algum tempo.".

Para a cientista política Deysi Cioccari, Lula voltou agressivo. "Ele já fez isso no passado e não deu certo. O problema não é o embate entre esquerda e direita, é o fator raivoso no meio. Isso tira a coerência", afirma. Ela menciona os ataques indistintos à Globo. "Não é novidade. Em levantamento vi que, literalmente, todos os presidentes desde 1985 atacaram a Folha de S.Paulo ou a Globo em algum momento. Mas hoje esses ataques são muito fortes", diz.


UOL.COM.BR


Última actualización el Viernes, 15 de Noviembre de 2019 04:43
 

Comments  

 
0 #1 Jessie 2019-11-13 01:14
Hi there, I log on to your new stuff on a regular basis.
Your writing style is witty, keep doing what you're doing!


My website: Jacelyn: http://toonew544.com
Quote
 

Add comment


Security code
Refresh

Abrazo o rechazo: ¿qué hacer con el régi

Indicado en la materia

Por CARLOS A. MONTANER.- El presidente Trump ha decidido sancionar al régimen cubano. Lo viene haciendo de forma creciente desde que alcanzó la presidencia. Las últimas medidas, anunciadas por Mike Pompeo, se...

La carga contra Miami

Indicado en la materia

Por ANDRÉS REYNALDO.-  No cabe duda de que el 2019 fue un mal año para el castrismo en sus planes de convertir a Miami en un pacificado Hong Kong. Pero ahora vu...

La arrogancia de la policía política cub

Indicado en la materia

Por YOANI SÁNCHEZ.- En la última década varias han sido las grabaciones de interrogatorios policiales que los activistas cubanos han logrado hacer y sacar a la luz. En muchas de ellas se...

“Clandestinos” Un análisis

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Como golpes transgresores y públicos, las acciones de Clandestinos son como bocanadas de aire puro y fresco que la sociedad cubana de dentro de la isla aporta la...

Cuba 2020

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Hay dos aspectos conjugados en el llamado “problema cubano”. El primero es derivado de un uso arbitrario del poder político por parte del castrismo. Dictadura política con de...

Cuba castrista: ¿Es este el País q quere

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  ¿Son bien nascidos en tierras cubanas policías políticos que, violando sus propias leyes comunistas, formuladas a bombo y platillo en su constitucion castrista, encarcelen, desaparezcan y torturen a ...

Las etapas probables del Futuro de Cuba

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.- Mañana 10 de Octubre no sucederá nada importante para el país. Lo importante vendrá con la desaparición física del último Castro Ruz al frente de los dest...