Depois de tentar enganar às autoridades panamenhas, Cuba recohece como suas 240 toneladas de foguetes e aviões em navio norte-coreano Imprimir
Escrito por Indicado en la materia   
Domingo, 21 de Julio de 2013 11:05

O barco norte-coreano Chong Chon Gang no Porto de Colón, a 90 km da Cidade do Panamá. O presidente panamenho disse que o capitão do navio tentou se suicidar logo após ser detido com o carregamento ilegal a bordo vindo de Cuba (Rodrigo Arangua/AFP/Getty Images)

O Ministério das Relações Exteriores de Cuba reconheceu num comunicado que o navio de carga Chong Chon Gang de bandeira da Coreia do Norte e que foi detido no Porto de Colón no Panamá zarpou de um porto cubano com açúcar e 240 toneladas de equipamento bélico.

“O referido navio zarpou de um porto cubano rumo à República Popular Democrática da Coreia com um carregamento de 10 mil toneladas de açúcar. Também se transportava nesse navio 240 toneladas de carregamento defensivo absoluto.”

O comunicado cubano detalhou que a carga corresponde a “dois complexos foguetes antiaéreos Volpa e Pechora, nove foguetes em partes e peças, dois aviões Mg 21 Bis e 16 motores deste tipo de aeronave”.

No texto, justificou-se a “necessidade de manter nossa capacidade defensiva para preservar a soberania” e esclareceu que todo o material foi “fabricado em meados do século passado, para ser reparado e devolvido a nosso país”.

Apesar do material bélico, Cuba finalizou lembrando “seu compromisso firme e irrevogável pela paz e o desarmamento, incluindo o desarmamento nuclear”.

Na segunda-feira, o presidente panamenho Ricardo Martinelli denunciou em páginas de mídia social que o carregamento militar não declarado “viajava escondido em contêineres embaixo de uma carga de açúcar”.

Tomado de EPOCHTIMES

Última actualización el Domingo, 21 de Julio de 2013 11:10