Accidente aéreo en Cuba, efecto de crisis, Por Miriam Leyva

LA HABANA, Cuba.- El desplome del avión Boeing 737-200 durante el despegue en l...

México suspende operación de Aerolíneas Damojh tras accidente en Cuba

La Dirección General de Aeronáutica Civil de México dijo el lunes que ...

Almagro: "no reconocemos a Nicolás Maduro como presidente de Venezuela"

“No se puede tener democracia sin elecciones, pero ayer Nicolás Maduro demostró qu...

EEUU reacciona ante el fraude de Maduro e impone nuevas sanciones a Venezuela

Una orden del presidente Donald Trump limitará la capacidad del gobierno de Ni...

Brasil não reconhece vitória de Maduro; grupo de 14 países reduzirá relações com o país

Em nota emitida na manhã desta segunda-feira (21), o governo brasileiro, juntamente ...

Notícias: Brasil
Chávez faz breve caminhada em Havana PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Domingo, 03 de Julio de 2011 13:37

HAVANA, 3 julho 2011 (AFP) - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, fez na sexta-feira uma caminhada de 10 minutos por recomendação médica em Havana, onde foi operado por um tumor canceroso, segundo fotos publicadas neste domingo pela imprensa cubana.

"O presidente Hugo Chávez foi fotografado na manhã de 1º de julho quando fazia a caminhada de 10 minutos indicada pelos médicos como parte da rotina para sua recuperção", afirma o site oficial Cubadebate.cu, que publicou quatro fotos.

Nas imagens, o chefe de Estado venezuelano, de 56 anos, aparece mais magro e caminhando com roupas esportivas ao lado das filhas María Gabriela e Rosa Virginia, além do chanceler Nicolás Maduro e de uma pessoa que foi identificado como "o médico que o atende".

Também aparecem outras pessoas não identificadas, supostamente seguranças de Chávez.

No sábado, o ministro das Relações Exteriores venezuelano afirmou que a operação de Chávez em Cuba conseguiu extrair todo o tumor da zona pélvica e que os órgãos vitais do presidente estão em "perfeito estado".

Chávez chegou a Cuba em 8 de junho, após visitas ao Brasil e ao Equador, e foi operado de emergência por um abscesso pélvico inicialmente e depois por um tumor canceroso. O governo venezuelano não revelou o tipo de câncer do governante.

Os venezuelanos se perguntam sobre a gravidade do câncer de Hugo Chávez e sobre sua volta ao país, enquanto o governo insiste na recuperação do presidente, que disse de Cuba que sairá fortalecido desta batalha.

Última actualización el Domingo, 03 de Julio de 2011 13:42
 
Após cirurgia, recuperação de Chávez em Cuba agita a Venezuela PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Viernes, 17 de Junio de 2011 11:13
Presidente está a nove dias ausente, recuperando-se de cirurgia na ilha. Oposição o acusa de violar a Constituição, por conduzir o país de Havana. A contínua ausência de aparições públicas do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, em Cuba depois de uma cirurgia deixou claro o seu domínio na política venezuelana e enfureceu adversários que esperam destroná-lo na eleição do próximo ano.

Da Reuters

Ainda que não haja nenhuma sugestão séria de que Chávez não vai se recuperar, a sua ausência de nove dias reabriu o debate de quem, se há alguém, pode substituí-lo no partido de situação Socialista.

"Este incidente deixa claro que depois de 13 anos no poder, Chávez ainda não tem um sucessor óbvio, com o seu imenso carisma e talento político inigualável, pelo menos entre os seus companheiros mais próximos", disse o instituto sediado em Londres LatinNews.

Mulher exibe cartaz de apoio ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, com os dizeres: "Quero meu comandante recuperado, descanse", em Caracas, na Venezuela (Foto: dwin Montilva / Reuters)Mulher exibe cartaz de apoio ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, com os dizeres: "Quero meu comandante recuperado, descanse", em Caracas, na Venezuela (Foto: dwin Montilva / Reuters)

Fora da Venezuela desde 6 de junho, Chávez encerrou uma viagem regional em Cuba, onde médicos descobriram um inchaço na região pélvica do mandatário na sexta-feira. Ele foi submetido a uma cirurgia imediata, atrasando o seu retorno.

Em vez de se preocupar com o estado de saúde de Chávez --um abscesso foi removido de sua pelve-- adversários lhe acusaram de violar a Constituição, preferindo médicos cubanos a venezuelanos e permitindo que o país fosse conduzido desde Havana.

"A Venezuela foi humilhada, pois estamos sendo governados a partir de Cuba, por Chávez ou por (Fidel) Castro", disse aos berros a deputada da oposição Maria Corina Machado durante um debate sobre o tema no Parlamento da Venezuela.

A admiração do socialista Chávez pelo ex-presidente cubano é um ponto de honra para ele desde que assumiu o poder em 1999, mas sempre foi motivo de crítica.

Apesar do seu frágil estado de saúde, Fidel esteve ao seu lado na cama, levando livros e filmes ao amigo venezuelano e disse que ele vai se restabelecer em pouco tempo, dentro de dias.

Com uma eleição presidencial marcada para o próximo ano, na qual Chávez busca reeleição para outro mandato de seis anos, todos os lados estão tentando criar capital político.

O vice-presidente Elías Jaua substitui o geralmente onipresente 'Comandante' na televisão, trazendo câmeras com ele no estilo Chávez de cobertura ao vivo durante uma visita a uma fábrica de chocolate 'socialista' e outros eventos.

O ministro das Relações Exteriores, Nicolás Maduro, também teve destaque, dando notícias para o país sobre a condição de Chávez.

A mídia de oposição, enquanto isso, tem pressionado o governo destacando assassinatos, cortes de eletricidade que geraram políticas impopulares como multas para quem consumir muita energia e uma revolta que matou 19 pessoas.

"Os ministros do gabinete de Chávez aparentam estar um tanto infelizes na sua ausência", acrescentou a LatinNews. "Nenhum deles parece ter a confiança do público, o que destaca claramente a concentração do poder político e autoridade na figura do presidente."

Analistas insinuam há tempos que a "revolução" socialista de Chávez depende da sua liderança carismática e autoritária, e que iria sucumbir sem ele.

Reuters

15/06/2011 17h28 - Atualizado em 15/06/2011 19h09

Última actualización el Viernes, 17 de Junio de 2011 11:16
 
Chávez nega que seu estado de saúde seja grave PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Miércoles, 15 de Junio de 2011 11:01

HAVANA - Em recuperação, em Cuba, de uma cirurgia para a retirada de um abcesso na pélvis feita há quatro dias, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse que “melhora satisfatoriamente”. Chávez negou que o abcesso tenha causado uma infecção. Também rebateu qualquer possibilidade de malignidade e de se afastar do governo. "Foi uma sorte que no abcesso pélvico não houve infecção. Felizmente nas biópsias que foram feitas não houve sinal maligno", disse.

Agência Brasil Renata Giraldi

Na mensagem, publicada no jornal oficial cubano, Granma, Chávez afirmou ainda que está sendo acompanhado pelo presidente de Cuba, Raúl Castro, e pelo ex-presidente Fidel Castro. De acordo com o jornal, a mensagem de Chávez foi enviada à rede multiestatal de televisão, Telesur.

Segundo o presidente venezuelano, a operação foi “bem-sucedida”. "Eu estou sendo atendido aqui [em Havana, em Cuba] da melhor forma possível. Fidel me disse que é para descansar. Fidel e Raul estão acompanhados cada detalhe", disse Chávez.

No último dia 10, ele estava em visita a Havana quando foi internado para uma cirurgia de emergência para a retirada do abcesso. "Felizmente, Cuba tem um dos sistemas de saúde mais avançados não só neste continente, mas no mundo, e eu fiquei doente em um bom lugar", disse.

A cirurgia em Cuba ocorreu no momento em que o presidente se recupera uma inflamação no joelho esquerdo. Na passagem por Brasília, no dia 6, Chávez usou muleta alegando que ainda sentia dores. Na mensagem, reproduzida no Granma, o presidente afirmou que anteontem (12) foi “um dia difícil” por ter sido o primeiro do pós-operatório em que ele teve de caminhar.

Ele não informou quando pretende voltar a Caracas, na Venezuela, e retornar ao trabalho. Mas negou limitações nas suas atividades públicas. “É uma lesão sensível, mas sem maiores prejuízos. Estou com minha saúde plena, sem me sentir diminuído. Se isso ocorresse, pediria eu mesmo minha substituição.”

Chávez encerrou a mensagem afirmando sentir muito carinho pela população venezuelana e informou ainda que todos os programas sociais do país serão intensificados. Segundo ele, “nada pode parar” porque o presidente está em tratamento de saúde. "Aqueles que dizem que eu deveria deixar a Presidência terão de trabalhar duro para conseguir", disse ele.

A reação de Chávez foi uma resposta à oposição que cobra detalhes sobre o estado de saúde do presidente. Para os oposicionistas, há informações mantidas em sigilo sobre o tratamento dispensado ao venezuelano.

 
TV de Cuba divulga imagens de Chávez com Fidel Castro PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Miércoles, 29 de Junio de 2011 15:32

O noticiário da televisão cubana e a rede oficial venezuelana divulgaram na noite de terça-feira simultaneamente as imagens de Chávez, com o objetivo de pôr fim aos rumores sobre o estado de saúde do presidente, de 56 anos.

Nos trechos da gravação, sem áudio e que inclue fotografias, Chávez, vestido com um casaco esportivo com as cores da bandeira venezuelana, aparece mais magro, conversa com Castro de pé em um jardim e também sentado em um quarto, acompanhado por uma de suas filhas.

Uma das fotos mostra Chávez e Castro lendo a edição de hoje do jornal oficial cubano Granma, para garantir a atualidade das imagens.

Segundo a TV cubana, "o ameno intercâmbio contou com a presença de familiares" de Chávez, e o noticiário desta quarta-feira trará mais detalhes sobre o encontro.

LA HABANA, Cuba — A televisão cubana divulgará nesta quarta-feira mais imagens do primeiro vídeo do presidente Hugo Chávez desde que foi submetido a uma cirurgia de emergência no dia 10 de junho, e no qual aparece conversando com o líder cubano Fidel Castro, informou a imprensa local.

"A televisão cubana, em seu noticiário do meio-dia de hoje, quarta-feira, oferecerá uma informação ampliada deste encontro íntimo", afirmou o anúncio, publicado nas capas dos jornais Granma e Juventud Rebelde.

O presidente venezuelano chegou em Cuba no dia 8 de junho e dois dias depois foi operado de emergência de um abscesso pélvico, um acúmulo de pus na zona baixa do abdômen, segundo a versão oficial.

Desde que foi operado, Chávez havia aparecido apenas em fotografias no dia 18 de junho na segunda das três visitas que recebeu até agora - segundo o governo cubano - de seu mentor político, Fidel Castro, de 84 anos e afastado do governo desde 2006.

A última vez que os venezuelanos puderam escutar seu presidente foi no dia 12 de junho, quando falou brevemente na televisão para dizer que estava se recuperando.

O chefe de Estado venezuelano é esperado em Caracas no dia 5 de julho, data na qual a Venezuela comemora o Bicentenário da assinatura da ata da Independência e quando será realizada uma cúpula latino-americana na Ilha Margarita.

O vice-presidente da Venezuela, Elías Jaua, destacou que é preciso "respeitar o tempo de recuperação" de Chávez e que o presidente jamais abandonou suas funções constitucionais". "Agora acaba de telefonar para o Conselho de Ministros para nos orientar".

Chávez não delegou suas funções a Elías Jaua e segue firmando decretos a partir de Havana, de onde participa ativamente das decisões políticas diárias, segundo seus ministros.

O incomum silêncio de Chávez nos meios de comunicação, somado à ausência de um boletim médico preciso, multiplicaram as especulações sobre a saúde do chefe de Estado dentro e fora da Venezuela.

Última actualización el Miércoles, 29 de Junio de 2011 15:56
 
A DITADURA CUBANA EMPERRA REELEIÇÃO DE BAN KI-MOON NA ONU PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Sábado, 18 de Junio de 2011 12:29

Nova Iorque - O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas adiou quinta-feira a votação para recomendar o segundo mandato de Ban Ki-moon como secretário-geral da ONU, depois que Cuba e outros países latino-americanos rejeitaram apoiá-lo, disseram diplomatas.

"Cuba está a causar dificuldades com o Grulac (Grupo de Países Latino-Americanos e do Caribe), mas isso é apenas procedimental", disse um diplomata ocidental à Reuters sob a condição de anonimato. "Ban vai vencer, mas não está claro se o Grulac, como bloco, irá endossá-lo", acrescentou o diplomata.

 

Última actualización el Sábado, 18 de Junio de 2011 13:44
 
«InicioPrev661662663664665666667668669670PróximoFin»

Página 662 de 701