Universidades cubanas suspenden clases y recortan horarios ante la crisis del combustible

Varios centros universitarios cubanos suspendieron clases o recortaron sus horarios ante la ...

Ortega prohíbe entrar a Nicaragua a una comisión de la OEA

Nicaragua prohibió este sábado el ingreso de siete diplomáticos que buscaban impulsar ...

Juan Guaido calificó el acuerdo de una minoría opositora con el régimen de Maduro como "irresponsabl

El presidente encargado de Venezuela, Juan Guaidó, calificó este lunes de "irresponsable" ...

Madrid: El ex jefe de la inteligencia chavista Hugo Carvajal quedó en libertad en España

El ex general venezolano Hugo Armando Carvajal, ex jefe de la contrainteligencia ...

Espanha nega extradição do ex-general venezuelano Hugo Carvajal

O Tribunal Superior da Espanha negou nesta segunda-feira (16) a extradição para ...

Notícias: Brasil
Entre "amigos": Rússia, Cuba, Venezuela e Equador vão discutir futuro de Snowden PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Martes, 02 de Julio de 2013 12:05




MOSCOU  - Diplomatas da Rússia, Cuba, Venezuela e Equador vão se reunir, na segunda-feira, 1º de julho, para discutir a situação do ex-técnico da CIA Eduard Snowden, informou, nesta sexta, 28, a Câmara Pública da Rússia.


Enquanto isso, Snowden completou seu quinto dia em Moscou, supostamente escondido no aeroporto de Sheremetyevo. Também, hoje, o Parlamento russo fez um convite ao fugitivo americano para colaborar nas investigações do país sobre ações de espionagem dos Estados Unidos a cidadãos russos.

Última actualización el Martes, 02 de Julio de 2013 12:14
 
Aliados da presidenta querem o "fim da re-eleição" presidencial PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Viernes, 28 de Junio de 2013 10:28

A presidente Dilma Rousseff definiu que enviará ao Congresso uma mensagem de no máximo cinco pontos sugerindo a realização de um plebiscito para nortear a elaboração de uma reforma política, mas seus aliados querem acrescentar mais questões, como o fim da reeleição.

Depois de três reuniões com presidentes de partidos e aliados da Câmara e do Senado, Dilma conseguiu o apoio da maioria de sua base para sua ideia de plebiscito, mas foi avisada de que a proposta de fazer poucas perguntas pode não vingar e que nem todas as regras podem valer para a eleição de 2014.

 
Pela primeira vez, STF manda prender deputado condenado por corrupção (agora só faltam os do MENSLÃO) PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Miércoles, 26 de Junio de 2013 18:05

O STF (Supremo Tribunal Federal) manteve nesta quarta-feira (26) a condenação do deputado federal Natan Donadon (PMDB-RO), por 8 votos a 1, e pediu que fosse expedido um mandado de prisão contra o réu.
O deputado federal Natan Donadon (PMDB-RO), que será o primeiro parlamentar a cumprir pena de prisão

Em 2010 a corte o condenou a 13 anos e quatro meses de prisão por formação de quadrilha e peculato. Donadon é acusado de participação em desvio de cerca de R$ 8 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia em simulação de contratos de publicidade. Agora só faltam por prender os deputados do MENSALÃO.

Última actualización el Miércoles, 26 de Junio de 2013 18:10
 
Reforma política é tema de discussão em Brasília PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Sábado, 29 de Junio de 2013 09:49

Brasília teve uma sexta-feira de reuniões e muita discussão sobre a reforma política e o prazo para aplicação das possíveis mudanças. Parlamentares e juristas debatem se as novas regras poderiam ou não ser aplicadas já nas próximas eleições.

A presidente Dilma recebeu nesta sexta representantes do movimento LGBT - Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transsexuais - e também lideranças jovens da sociedade civil. Na saída, integrantes dos movimentos disseram  apoiar o plebiscito para a reforma política.

 
Senado aprova projeto que torna corrupção crime hediondo PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Jueves, 27 de Junio de 2013 09:02

O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (26) o projeto de lei que altera o Código Penal para aumentar a punição para corrupção e tornar esse tipo de delito crime hediondo, considerado de maior gravidade.

O texto aprovado determina que a corrupção ativa (quando é oferecida a um funcionário público vantagem indevida para a prática de determinado ato de ofício) passa ter pena de 4 a 12 anos de reclusão, além de multa – atualmente, a reclusão é de 2 a 12 anos. A mesma punição passa a valer para a corrupção passiva (quando funcionário público solicita ou recebe vantagem indevida em razão da função que ocupa).

 
«InicioPrev12345678910PróximoFin»

Página 7 de 782