Con la presencia de Raúl Castro, concluye el Pleno del Partido Comunista convocado para "responder"

Raúl Castro reapareció este domingo en la clausura del II Pleno del Comité ...

Un enigmático cementerio y el sacrificio de niños pueden llegar a reescribir la historia del Antiguo

Un grupo de niños y adolescentes enterrados como ofrenda y un atípico ...

La ex fiscal general de Venezuela, Luisa Ortega Díaz, pidió asilo político en España ante nuevas ame

La ex fiscal general de Venezuela, Luisa Ortega Díaz, realizó los trámites ...

EEUU reveló las reglas para ingresar al país a partir del 8 de noviembre

Estados Unidos anunció este lunes las directrices que marcarán su apertura de ...

Cuba tem "revolucionários" (policias de civil) para enfrentar manifestações, diz Díaz-Canel

Em Cuba há "revolucionários suficientes para enfrentar qualquer tipo de manifestação", advertiu ...

Brasil registra menor média móvel de mortes por Covid do ano: 696 vítimas por dia PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Viernes, 27 de Agosto de 2021 12:07

O Brasil registrou 875 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando nesta quinta-feira (26) 577.605 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 696 --a menor registrada em 2021 até aqui. Antes, a menor média do ano era a de 3 de janeiro (698). Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -20% e aponta tendência de queda.

Brasil registra menor média móvel de mortes por Covid do ano: 696 vítimas  por dia | Coronavírus | G1

Já a média móvel de casos, em 25.904 por dia, voltou a atingir o menor patamar visto em mais de nove meses (veja detalhes mais abaixo).

 

 

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta quarta. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.Evolução da média móvel de óbitos por Covid no Brasil nos últimos 14 dias. A variação percentual leva em conta os números das duas pontas do período — Foto: Editoria de Arte/G1

Evolução da média móvel de óbitos por Covid no Brasil nos últimos 14 dias. A variação percentual leva em conta os números das duas pontas do período — Foto: Editoria de Arte/G1

Veja a sequência da última semana na média móvel:

  • Sexta (20): 821
  • Sábado (21): 773
  • Domingo (22): 765
  • Segunda (23): 766
  • Terça (24): 730
  • Quarta (25): 718
  • Quinta (26): 696

Em 31 de julho o Brasil voltou a registrar média móvel de mortes abaixo de 1 mil, após um período de 191 dias seguidos com valores superiores. De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média móvel acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, no dia 12 de abril.

Três estados e o Distrito Federal apresentam tendência de alta nas mortesRJ, DF, AC e SE.

Três estados não registraram novas mortes em 24 horas: AC, AP e GO. No Acre, a média móvel arredondada tem variado entre 0 e 1 há 30 dias. Devido ao baixo número diário de mortes, a pequena variação para cima na última semana (em comparação com a média de 14 dias atrás) colocou o estado em tendência de alta.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 20.675.343 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 30.288 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 25.904 diagnósticos por diaa menor desde 13 de novembro (quando estava em 25.599), resultando em uma variação de -13% em relação aos casos registrados na média há duas semanas, o que indica estabilidade.

Em seu pior momento a curva da média móvel chegou à marca de 77.295 novos casos diários, no dia 23 de junho deste ano.

Brasil, 26 de agosto

  • Total de mortes: 577.605
  • Registro de mortes em 24 horas: 875
  • Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 696 por dia (variação em 14 dias: -20%)
  • Total de casos confirmados: 20.675.343
  • Registro de casos confirmados em 24 horas: 30.288
  • Média de novos casos nos últimos 7 dias: 25.904 por dia (variação em 14 dias: -13%)

Estados

  • Em alta (apenas 3 estado e o Distrito Federal): RJ, DF, AC e SE
  • Em estabilidade (4 estados): RS, SC, MS e PA
  • Em queda (19 estados): PR, ES, MG, SP, GO, MT, AM, AP, RO, RR, TO, AL, BA, CE, MA, PB, PE, PI e RN

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia).

Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.

Vacinação

Mais de 60% dos brasileiros estão parcialmente imunizados, ou seja, tomaram a primeira dose de vacinas contra a Covid. Os dados, também reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa, mostram que 127.098.222 doses foram aplicadas, o que corresponde a 60,02%

Os que estão totalmente imunizados, ou seja, que tomaram as duas doses ou a dose única de vacinas, são 58.646.314 pessoas, o que corresponde a 27,70% da população.

Somando a primeira, a segunda e a dose única, são 185.744.536 doses aplicadas no país.

Veja a situação nos estados

Estados com mortes em alta — Foto: Editoria de Arte/G1

Estados com mortes em alta — Foto: Editoria de Arte/G1Estados com mortes em estabilidade — Foto: Editoria de Arte/G1

Estados com mortes em estabilidade — Foto: Editoria de Arte/G1Estados com mortes em queda — Foto: Editoria de Arte/G1

Estados com mortes em queda — Foto: Editoria de Arte/G1

Sul

  • PR: -22%
  • RS: +5%
  • SC: -5%

Sudeste

  • ES: -21%
  • MG: -29%
  • RJ: +17%
  • SP: -29%

Centro-Oeste

  • DF: +18%
  • GO: -43%
  • MS: -2%
  • MT: -19%

Norte

  • AC: +67%
  • AM: -48%
  • AP: -50%
  • PA: +7%
  • RO: -30%
  • RR: -63%
  • TO: -28%

Nordeste

  • AL: -16%
  • BA: -35%
  • CE: -39%
  • MA: -26%
  • PB: -24%
  • PE: -33%
  • PI: -34%
  • RN: -34%
  • SE: +43%

Consórcio de veículos de imprensa

Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no Brasil foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal.

 

G1 GLOBO

Última actualización el Lunes, 30 de Agosto de 2021 20:24
 

Add comment


Security code
Refresh

La lógica detrás de la ilógica inversión

Indicado en la materia

Por RAFAELA CRUZ.- Hace pocos días, el médico cubano Víctor José Arjona Labrada denunciaba en Facebook que su madre —una maestra con 46 años de experiencia— había fallecido porque una patrulla de Po...

Cuba, la cuerda se tensa mientras se ace

Indicado en la materia

Por YOANI SÁNCHEZ.-  Están vestidos de civil y simulan esperar el ómnibus o conversar en una esquina, pero todos saben que son segurosos, la palabra popular para llamar a los agentes ...

La negativa a la marcha del 15 de noviem

Indicado en la materia

Por LUCÍA ALFONSO MIRABAL.- La negativa dada este martes por intendentes de Consejos de Administración de varias ciudades de Cuba a ciudadanos que les notificaron la intención de realizar una marcha cívica el pr...

Castro y Maradona, al vertedero

Indicado en la materia

Por PEDRO CORZO.- El totalitarismo castrista le ha hecho creer a los cubanos que Fidel Castro, la Revolución y, como derivado, Cuba, han estado siempre en el foco de la atención mu...

EL FRACASO DEL CASTRO-SOCIALISMO

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.- Ningún estado le dijo a Edison que inventara la lámpara eléctrica, o le “orientó” a Bill Gates que desarrollara programas de computación, y mucho menos le pi...

Cuba castrista hoy

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Ya se ve la luz al final del largo túnel. Raúl Castro, probablemente muerto –o próximo a fallecer-- dará con su mutis el pistoletazo de salida de lo...

Las lecciones del Estallido Social en Cu

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  La dictadura cubana carece de futuro. A la muerte de Raúl, Díaz Canel será objeto de un merecido “pase a retiro” en un evento, que dependiendo de lo...