Un buque cubano carga gasolina en Venezuela con destino a la Isla

El buque cubano Sandino está cargando gasolina en la refinería venezolana El ...

El viaje de López Obrador a Washington minuto a minuto: llegó a Atlanta para una escala de dos horas

El presidente de México, Andrés Manuel López Obrador, abordó un avión comercial ...

Juan Guaidó repudió los dichos del ministro Vladimir Padrino: “No es usted quien decide quién accede

La Asamblea Nacional de Venezuela deploró este martes la “posición dictatorial” del ...

El gobernador de Florida advirtió que el número de casos de coronavirus en el estado podría ser 10 v

“Si hacemos 85 mil pruebas, entonces vamos a tener más casos que ...

Veja autoridades que se reuniram com Bolsonaro nos últimos dias, de acordo com a agenda oficial

O presidente Jair Bolsonaro, que anunciou nesta terça-feira (7) estar com o ...

Por que Brasil já pode ter atingido 'fundo do poço' da recessão - e o que isso significa PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Martes, 30 de Junio de 2020 00:20

Três anos depois de passar pela pior crise econômica de sua história, o Brasil entrou em recessão novamente no primeiro trimestre de 2020.

Pessoa segura moeda de um real

Esta foi a conclusão do Comitê de Datação de Ciclos Econômicos (Codace), da Fundação Getulio Vargas, criado em 2004 com o objetivo de determinar uma cronologia de referência para os ciclos econômicos do país. Como os órgãos oficiais de estatística do Brasil não fazem essa datação, as informações geradas pelo Codace são consideradas referência por pesquisadores e economistas.

 

 

A série elaborada pelo comitê começa em outubro de 1980, ano em que o país vivia uma recessão. De lá para cá, foram 9 no total, sendo a mais longa a que se estendeu entre março de 2014 e dezembro de 2016 — 33 meses.

Um dos critérios para a identificação de uma recessão é ocorrência de dois trimestres consecutivos de queda do Produto Interno Bruto (PIB) — o que configura a chamada recessão técnica. Mas ele não é o único: o comitê leva em consideração uma série de fatores, como a retração disseminada da atividade em um amplo espectro de setores, como é o caso atual.

Segundo a economista Marcelle Chauvet, que é um dos 8 membros do Codace, o comitê analisa diferentes séries mensais e trimestrais, agregadas e setoriais, de produção, renda, emprego, vendas, por exemplo, para avaliar a situação da economia.

"Como a queda foi muito acentuada em quase todas, essa recessão está bem caracterizada desde cedo", disse a professora titular da Universidade da Califórnia à BBC News Brasil.

No primeiro trimestre, o PIB encolheu 1,5%, quando captou apenas os primeiros efeitos da pandemia de covid-19 sobre a economia. As projeções para o segundo trimestre indicam que a queda deve se aprofundar para algo em torno de 10%.

Segundo Chauvet, ela seria a pior dos últimos 50 anos, pelo menos - já que não se sabe como foi a retração durante a Grande Depressão de 1929.

Gráfico de ciclos econômicos do CodaceDireito de imagemCODACEImage captionQueda no segundo trimestre pode ter sido a pior dos últimos 50 anos, diz economista

'Ficar no poço'

Até o momento, abril foi o pior mês do atual ciclo, "um mês de tombos históricos em todos os principais indicadores da atividade econômica", como destacou no último Boletim Macro a equipe do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre-FGV).

A produção da indústria de transformação recuou expressivos 31,3% em relação ao mesmo mês de 2019, as vendas no comércio varejista ampliado (que inclui veículos e material de construção) retraíram 27,1%, na mesma comparação, e os serviços, 17,3%.

Os dados referentes a maio e junho ainda não foram divulgados pelo IBGE, mas indicadores antecedentes — como dados sobre vendas de cartões de crédito, vendas de veículos ou fluxo nas estradas pedagiadas — sinalizam alguma melhora.

Assim, tecnicamente, o "fundo do poço" teria acontecido em abril - como destacou o Banco Central na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

Essa informação, entretanto, não é tão simples de se interpretar em uma recessão como a atual, avalia Chauvet. Como a queda foi muito intensa, podemos ter chegado ao fundo do poço, diz ela - mas não necessariamente estamos saindo do atoleiro.

"Vamos ficar no poço por um tempo."

A duração da recessão, em sua avaliação, vai depender dos desdobramentos da pandemia. Se houver segundas e terceiras ondas de contágio, por exemplo, ou avanços com relação a medicamentos e vacinas.

"Pode haver uma pequena recuperação no terceiro trimestre, mas só porque a queda foi muito grande no segundo. Então a recuperação seria para níveis de recessão menos profunda, não uma recuperação econômica para expansão", destaca a pesquisadora.

Carteira de trabalhoDireito de imagemPEDRO VENTURA/AG. BRASILImage captionDesemprego tende a reduzir velocidade da recuperação

Essa seria uma retomada com formato parecido com o de um "W", mas com algumas pernas "tortas": uma queda forte, seguida de um crescimento e decréscimo pequenos no meio - não necessariamente da mesma magnitude.

O ritmo de recuperação é um fator fundamental porque, ainda que o "fundo do poço" tenha ficado para trás, a velocidade da retomada pode abreviar ou estender os efeitos negativos da recessão para a população em geral - a sensação de crise propriamente dita.

O Ibre-FGV espera uma recuperação "muito gradual" no segundo semestre, que levaria o PIB de 2020 a uma queda de 6,4%. Nesse cenário, a taxa de desemprego se elevaria para uma média de 18,7% e a massa de rendimentos - grosso modo, o volume de recursos disponível para o consumo —, reduziria 9%.

A MCM Consultores, que estima uma retração de 7% do PIB neste ano, destaca que o mercado de trabalho é um dos fatores que devem desacelerar a recuperação, tanto pelo impacto direto quanto indireto, já que o medo de perder o emprego acaba fazendo com que parte dos que ainda estão empregados gastem menos.

Gráfico em queda com marca d'água de pessoas com máscaraDireito de imagemGETTY IMAGESImage captionMédia de estimativas colhidas pelo Banco Central indicam retração de 6,5% da economia em 2020

Em relatório, a consultoria destaca que o consumo pode ganhar fôlego caso algumas mudanças recentes de hábitos da população, como uso maciço de máscaras, perdurem pelos próximos meses e consigam conter o avanço da doença, que ainda não está controlada.

"Porém, é igualmente possível que o receio de contaminação mantenha as pessoas em casa, mesmo com a reabertura dos serviços não essenciais", pondera a equipe de economistas.

A crise política, acrescentam, tende a jogar contra o investimento - turbulências em Brasília costumam fazer com que empresários e investidores prefiram deixar os projetos na gaveta.

O Bradesco, que tem uma estimativa mais "otimista" para a queda do PIB em 2020, de 5,9%, ressaltou em relatório divulgado na última sexta que "o pior momento para a atividade doméstica parece ter ficado para trás", diante dos indicadores antecedentes melhores de maio e junho e da reação dos índices de confiança.

A equipe do banco lista, entre as "dúvidas que podem limitar uma recuperação mais intensa", o comportamento do número de casos após os primeiros testes de reabertura, a incerteza sobre a reação da economia depois de esgotados os estímulos emergenciais e o aumento da dívida pública e privada, que tende a diminuir a renda disponível de empresas, famílias e governos.

Camilla Veras MotaDa BBC News Brasil em São Paulo

BBC BRASIL

Última actualización el Sábado, 04 de Julio de 2020 00:43
 

Add comment


Security code
Refresh

La protesta abortada

Indicado en la materia

Por YOANI SÁNCHEZ.- Iba a ser un martes como cualquier otro en medio de las restricciones impuestas en La Habana por la pandemia. Un día de largas colas para intentar comprar ...

Las campanas no doblan por los negros cu

Indicado en la materia

Por Ana León.-  Cuando se produjo la muerte de George Floyd y los medios de prensa a nivel mundial se hicieron eco del suceso, enfatizando los conflictos de la sociedad estadounidense y po...

Los comunismos

Indicado en la materia

Por REINALDO ESCOBAR.- La primera vez que busqué el significado de la palabra comunismo lo hice en un pequeño diccionario de bolsillo que tenía mi madre. Para mi sorpresa, detrás de lo...

Cuba, la dictadura jefe del castrochavis

Indicado en la materia

Por Carlos Sánchez Berzain.-  Los procesos de sedición, conspiración y violencia, que agravados o con pretexto de la pandemia del coronavirus se producen en casi todos los países de la región, ...

Cuba en compás de espera

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  En Cuba hoy hay dos compases de espera. El compás de espera de Raúl y los “viejos”, esperando que Trump pierda las elecciones, y el compás de es...

El Black Lives Matter ¿contra los cubano

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Los cubanos respetamos al movimiento negro norteamericano. Pero sepan que las injusticias cometidas contra Uds., de ninguna manera pueden significar que vengan a Miami a cometer injusticias cont...

Crisis política en Brasil: ¿Hay peligro

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  La respuesta a la pregunta sobre el peligro de la izquierda en las próximas elecciones queda respondida, no hay peligro. La izquierda en Brasil es fuerte, pero no...