La dictadura castrista arresta al doctor Oscar Elías Biscet

La Policía cubana arrestó y trasladó a "un lugar no revelado" a Óscar ...

Uruguay: El presidente Lacalle no quiere dictadores en su toma de posesión

Los gobernantes de Venezuela, Cuba y Nicaragua no han sido invitados a la toma ...

Camacho suspendió su candidatura a presidente y convocó a la unidad: “Si seguimos así, Evo vuelve”

Bolivia.- El líder del Comité Cívico de Santa Cruz, Luis Fernando Camacho, ...

Brasil vai “decolar” enquanto o mundo está enfraquecendo, prevê Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reiterou nesta quinta-feira avaliação de que o ...

Chefe do governo espanhol recusa reunião com Guaidó e pede diálogo com Venezuela PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Domingo, 26 de Enero de 2020 02:19

A atitude desencadeou uma tempestade política na Espanha, mas o chefe de governo Pedro Sánchez não voltou atrás na decisão de recusar o encontro com o opositor venezuelano Juan Guaidó em Madri. O socialista se defendeu neste sábado 25 das críticas da direita espanhola, sugerindo o diálogo para colocar um fim à crise na Venezuela.

Juan Guaidó se encontrou neste sábado 25 com a ministra das Relações Exteriores da Espanha, Arancha González, em Madri. Foto: Javier Soriano/AFP

“É uma crise complexa, que exige diálogo”, afirmou Pedro Sánchez. “A posição do governo espanhol sempre foi de encarnar, através das instituições europeias, uma resposta que passe pelo diálogo”, reiterou o líder socialista.

 

 

Depois de viajar à Davos para o Fórum Econômico Mundial, ser recebido pelo presidente francês, Emmanuel Macron, em Paris, e pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, em Londres, Guaidó viajou a Madri. Ele se encontrou neste sábado com a ministra das Relações Exteriores da Espanha, Arancha González, em uma reunião na instituição da Casa da América, mas não na sede do ministério, como manda o protocolo.

A recusa de Sánchez irritou o entorno de Guaidó, os Estados Unidos e provocou fortes críticas de lideranças conservadoras na Espanha. O opositor venezuelano é reconhecido como presidente interino da Venezuela por cinquenta países, incluindo pelo próprio governo espanhol.

“Sempre apoiamos a oposição venezuelana e queremos que eleições sejam rapidamente organizadas na Venezuela”, completou Sánchez. O chefe de governo lembrou que o opositor Leopoldo López chegou a ser acolhido como refugiado na embaixada da Espanha em Caracas em maio de 2019.

Novo capítulo da polêmica

A polêmica foi endossada após José Luis Ábalos, ministro do Desenvolvimento da Espanha, ter reconhecido que conversou na última segunda-feira (20) com Delcy Rodríguez, número dois do governo de Nicolás Maduro. Ábalos alega que foi ao aeroporto de Madri receber o o ministro do Turismo da Venezuela, Félix Plasencia, seu amigo pessoal. A vice-presidente venezuelana viajava no mesmo avião particular que seguiu para a Turquia.

“Apenas a cumprimentei. Lembrei-a de que ela não poderia entrar em solo espanhol devido às sanções da União Europeia”, afirmou Ábalos, em entrevista ao jornal espanhol La Razón neste sábado.

O líder do Partido Popular (PP), Pablo Casado, também se reunirá com Guaidó, assim como o prefeito e a presidente regional de Madri, ambos da formação de direita. Na sexta-feira 24, Casado pediu a Sánchez definir “de que lado está”. O líder conservador vinculou a atitude do socialista à entrada no governo espanhol do partido de esquerda radical Podemos, que no passado expressou simpatia e manteve relações com o chavismo.

Guaidó, que se autoproclamou presidente interino da Venezuela há um ano, violou a proibição de deixar seu país para iniciar este giro europeu. O opositor busca apoio para tentar retirar Maduro do poder.


CARTA CAPITAL

Última actualización el Domingo, 02 de Febrero de 2020 01:39
 

Add comment


Security code
Refresh

La familia liberal: amigos y enemigos

Indicado en la materia

Por CARLOS ALBERTO MONTANER.- Hace pocos años sabíamos lo que debíamos hacer en América Latina para superar el subdesarrollo: imitar a Chile. Fue, por ejemplo, lo que ha hecho Perú y, en...

A todos ustedes, por el derrumbe

Indicado en la materia

Por ANDRÉS REYNALDO.-  mí, ustedes ya me acabaron las ganas de comprender. Novelistas, pintores, cantantes con residencia en la Isla, perseguidos y censurados en la exacta medida que les permite apelar a ...

¿Dónde está Clandestinos?

Indicado en la materia

Desde el 30 de enero, Clandestinos no ha vuelto a usar sus redes sociales para llamar a sus seguidores a "actuar contra la dictadura cubana". Justo ese día, las cuentas de ...

Sangre sobre el yeso

Indicado en la materia

Por CAMILO LORET DE MOLA.-  ¡El que no brinque es gusano! ¡El que no manche a Martí es cómplice! Hay discursos que por opuestos terminan pareciéndose. Algunos cubanos del exilio están tan desesperados porque pase al...

“Clandestinos” vs. José Martí

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.- Existen un grupo de frases, supuestamente escritas por José Martí en una tal “carta inconclusa a su amigo Manuel Mercado”, donde se exponen conceptos anti-norteamericanos. Esa ca...

“Clandestinos”: El “al pan, pan y al vin

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Por primera vez en 28 años de exilio, me he sentido tratado por los formadores de opinión exiliados, como me trataban los formadores de opinión castristas en ...

“Clandestinos” Un análisis

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Como golpes transgresores y públicos, las acciones de Clandestinos son como bocanadas de aire puro y fresco que la sociedad cubana de dentro de la isla aporta la...