Comunismo estilo chino: La reforma constitucional castrista mezclará 'socialismo irrevocable' con me

El Gobierno reconocerá el papel del mercado y la propiedad privada en ...

Se reune en la Habana la Internacional comunista de Latinoamérica: El Foro de San Pablo

Presidentes, políticos y activistas de izquierda de Latinoamérica y el Caribe se ...

Ortega ataca el último bastión de la resistencia estudiantil en Nicaragua

El presidente Daniel Ortega, en una demostración de fuerza, movilizó el viernes ...

China busca una alianza con la UE para contrarrestar el proteccionismo de Trump

China, inmersa en una guerra comercial con Estados Unidos (EE UU), quiere forjar ...

O silêncio da esquerda sobre a Nicarágua

Políticos do campo conservador já começam a fustigar o PT e outros ...

Presidente do STJ nega liberdade a Lula e critica juiz que mandou soltar ex-presidente PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Miércoles, 11 de Julio de 2018 05:35

A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Laurita Vaz, rejeitou nesta terça-feira (10) um pedido para conceder liberdade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A ministra Laurita Vaz, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) (Foto: Sergio Amaral/STJ)

Na mesma decisão, a ministra criticou o desembargador Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-4). No último domingo (8), Favreto mandou soltar Lula e, depois de uma batalha de decisões judiciais durante o dia, o ex-presidente permaneceu preso por uma decisão do presidente do TRF-4, Thompson Flores.

 

Lula está preso desde 7 de abril deste ano. Condenado a 12 anos e 1 mês em um processo relacionado à Operação Lava Jato, o ex-presidente está na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR).

Ao analisar o caso de Lula, Laurita Vaz negou um habeas corpus (pedido de liberdade) apresentado por um cidadão, não pela defesa do ex-presidente.

Ainda caberá à presidente do STJ analisar um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) para que o tribunal decida sobre de quem é a competênciapara analisar os pedidos de liberdade de Lula.

Decisão de Laurita Vaz

Na decisão, a presidente do STJ avaliou como "inusitada e teratológica" a decisão de Favreto, acrescentando que mostra um "flagrante desrespeito" às decisões tomadas pela 8ª Turma do TRF-4 (que condenou Lula) e pelo Supremo Tribunal Federal (que negou um habeas corpus a Lula).

"É óbvio e ululante que o mero anúncio de intenção de réu preso de ser candidato a cargo público não tem o condão de reabrir a discussão acerca da legalidade do encarceramento, mormente quando, como no caso, a questão já foi examinada e decidida em todas as instâncias do Poder Judiciário", destacou a presidente do STJ.

Para Laurita Vaz, o desembargador, na condição de plantonista, não poderia ter avaliado se há ou não plausibilidade. Ou seja, se a argumentação é convincente.

"No mais, reafirmo a absoluta incompetência do Juízo plantonista [na ocasião, Favreto] para deliberar sobre questão já decidida por este Superior Tribunal de Justiça e pelo Supremo Tribunal Federal, afastando a alegada nulidade arguida", disse a ministra.

Segundo a presidente do STJ, a decisão do desembargador causou "intolerável insegurança jurídica" porque ele era "autoridade manifestamente incompetente, em situação precária de plantão Judiciário, forçando a reabertura de discussão encerrada em instâncias superiores, por meio de insustentável premissa".

Sérgio Moro

Ainda na decisão, Laurita Vaz fez menções a Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato em primeira instância.

Para a presidente do STJ, Moro agiu corretamente ao consultar o presidente do TRF-4, Thompson Flores, antes de autorizar a soltura de Lula.

"É óbvio e ululante que o mero anúncio de intenção de réu preso de ser candidato a cargo público não tem o condão de reabrir a discussão acerca da legalidade do encarceramento, mormente quando, como no caso, a questão já foi examinada e decidida em todas as instâncias do Poder Judiciário", destacou a presidente do STJ.

Para Laurita Vaz, o desembargador, na condição de plantonista, não poderia ter avaliado se há ou não plausibilidade. Ou seja, se a argumentação é convincente.

"No mais, reafirmo a absoluta incompetência do Juízo plantonista [na ocasião, Favreto] para deliberar sobre questão já decidida por este Superior Tribunal de Justiça e pelo Supremo Tribunal Federal, afastando a alegada nulidade arguida", disse a ministra.

Segundo a presidente do STJ, a decisão do desembargador causou "intolerável insegurança jurídica" porque ele era "autoridade manifestamente incompetente, em situação precária de plantão Judiciário, forçando a reabertura de discussão encerrada em instâncias superiores, por meio de insustentável premissa".

Sérgio Moro

Ainda na decisão, Laurita Vaz fez menções a Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato em primeira instância.

Para a presidente do STJ, Moro agiu corretamente ao consultar o presidente do TRF-4, Thompson Flores, antes de autorizar a soltura de Lula.

Última actualización el Sábado, 14 de Julio de 2018 05:57
 

Add comment


Security code
Refresh

EL FRACASO DE LA POLITICA CUBANA DE NU

Indicado en la materia

Por Santiago Cardenas.- Oh! los  americanos…. Ellos  siempre ocupados en asuntos “mas importantes” que de una islita en su traspatio. La explicación del fracaso del presidente  por la presencia de ...

El mandamenos de Cuba

Indicado en la materia

Por MIGUEL SALES.-  El 19 de abril de 2018, un oscuro burócrata de 58 años de edad, Miguel Díaz-Canel, recibió de manos del general Raúl Castro el nombramiento de presidente del Consejo de Estado y ...

La política actual de EUA hacia Cuba

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  No hay dudas que la reunión del presidente Trump con el dictador coreano ha sido un triunfo resonante de la política exterior de la actual administración, llegándose ...

Castrismo: del capitalismo al capitalism

Indicado en la materia

Por ROBERTO ÁLVAREZ QUIÑONES.-  El régimen de Raúl Castro hace unos días reveló que el sector privado en la Isla emplea ya a 1,3 millones de trabajadores y que de 4,47 ...

Cuba más próxima de la Economía de Merca

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  La reciente visita a Cuba del secretario general del partido comunista de Viet Nam, así como sus declaraciones públicas en sentido de “la posibilidad de preservar el ...

China, Corea del Norte, Estados Unidos y

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Se puede conjeturar que los comunistas cubanos estarían considerando muy seriamente ir a la economía de mercado por varias razones: primero, algunas garantías, no sólo de capital, ...

La Muerte del Marxismo

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  En la actualidad los únicos países marxistas remanentes son Corea del Norte y Cuba. El fracaso del marxismo que sintió China en los años 70 del siglo ...