Las rebeliones por venir en Cuba podrían tornarse cada vez más violentas

Inmovilismo y represión son dos ingredientes explosivos de la situación sociopolítica cubana, advirtió ...

Después de la crisis por las protestas en Ecuador, Guillermo Lasso reemplazó a cuatro ministros de s

El gabinete de ministros del gobierno de Guillermo Lasso tuvo cambios luego ...

Gustavo Petro confirmó que Nicolás Maduro no estará en su asunción: “Respeto la posición del actual

El próximo 7 de agosto el presidente electo, Gustavo Petro, tomará juramento ...

Los rusos ya controlan la provincia de Luhansk mientras aumenta la resistencia ucraniana en las zona

Las fuerzas rusas conquistaron la provincia ucraniana de Luhansk, un paso clave para ...

Cubana depõe depois de vídeo sobre pesimas condições de vida em Cuba

A cubana Amelia Calzadilla prestou depoimento na 2ª feira (13.jun.2022) para autoridades ...

A vitória da esquerda no México, um alerta para o Brasil? PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Miércoles, 04 de Julio de 2018 05:50

Por Juan Arias.-

vitória da esquerda no México, que governará o país pela primeira vez, é um alerta para as eleições presidenciais no Brasil.

Apoiadores comemoram a vitória de López Obrador no último domingo

Não porque López Obrador, o vencedor, possa ser comparado com qualquer dos candidatos brasileiros, nem mesmo com Lula, mas porque os problemas que ele prometeu resolver não são tão diferentes dos enfrentados pelo Brasil.

 

Os problemas reais e mais angustiantes da sociedade mexicana aparecem como um espelho das inquietudes que balançam o Brasil. Lá, os três pilares que o candidato de esquerda prometeu enfrentar foram: o medo de uma violência cada vez mais sangrenta, a corrupção que afeta grande parte da classe política e empresarial e uma pirâmide social cada vez mais desequilibrada por causa das desigualdades criadas pelos privilégios das elites.

Os problemas reais e mais angustiantes da sociedade mexicana aparecem como um espelho das inquietudes que balançam o Brasil. Lá, os três pilares que o candidato de esquerda prometeu enfrentar foram: o medo de uma violência cada vez mais sangrenta, a corrupção que afeta grande parte da classe política e empresarial e uma pirâmide social cada vez mais desequilibrada por causa das desigualdades criadas pelos privilégios das elites.

López Obrador, apesar de sua grande vitória, é um desconhecido para os analistas políticos nacionais e internacionais por seu caudilhismo e messianismo. Não há dúvida, no entanto, que com suas propostas de governo ele conseguiu convencer a grande maioria dos cidadãos a lhe dar sua confiança e eles o fizeram nas eleições mais pacíficas da história mexicana.

A receita de Obrador pode parecer simplista: combate à corrupção que, segundo ele, gerou o aumento da violência, uma das mais graves do continente. Corrupção e violência que, para o novo líder revolucionário, seriam as causas da grande desigualdade social do México, com 40 milhões de pessoas ainda vivendo na pobreza.

“Vou ouvir todos, mas dando preferência aos mais humildes e esquecidos”, resumiu assim sua promessa de combater a desigualdade social. Uma mulher na rua entendeu a mensagem e comentou: “Nunca pensei que viveria este momento em que nos dão uma oportunidade aos de baixo.” No México, como no Brasil, as oportunidades são uma iguaria para os que estão no topo.

López Obrador também conquistou o voto de milhões de jovens que, como escreveu Sonia Corona neste jornal, “são a geração do século XXI com necessidades e demandas diferentes das de seus pais e avós.” E uma dessas necessidades é a de uma vida política menos corrupta e mais próxima dos novos problemas de uma sociedade em profunda transformação. E uma sociedade onde se possa sair de casa com a certeza de poder voltar inteiro.

Novidade ou não, o desafio lançado pelo líder esquerdista Obrador foi ouvido por 53% dos eleitores, a maior votação em muitos anos no México. E o Brasil? Ignoro a leitura que os vários partidos da esquerda deste país, e especialmente o PT de Lula, estão fazendo da surpresa da vitória da esquerda mexicana. Uma coisa é certa, os pilares sobre os quais Obrador se apoiou para conquistar a sociedade farta de seus partidos de direita são os mesmos que hoje preocupam os cidadãos brasileiros: a corrupção, a insegurança e a luta por uma sociedade mais justa e mais igual. A esquerda brasileira apresenta, sem dúvida, uma sensibilidade maior que a direita em relação à angústia econômica e social da sociedade mais desamparada. O que se cabe perguntar é se os cidadãos brasileiros sentem, por parte da esquerda, essa mesma urgência em relação à corrupção e à violência. Deixar essas duas bandeiras nas mãos da extrema direita seria o suicídio da esquerda, que, como no México, teria hoje uma possibilidade de voltar ao poder. Não conseguirá sem ser tão clara quanto a direita no tocante ao que pretende fazer para regenerar a vida política e contra a violência que mancha de sangue inocente tanto ou mais que as guerras.

EL PAIS; ESPANHA

Última actualización el Domingo, 22 de Julio de 2018 02:16
 

Add comment


Security code
Refresh

La venganza de la escoria cubana

Indicado en la materia

Por REINALDO ESCOBAR.- He escuchado con paciencia, hasta con el debido respeto, la intervención de este jueves de Miguel Díaz-Canel, donde tuvo el propósito de convencer a la teleaudiencia –entiéndase la po...

¿Por qué hay tan pocas Amelias en Cuba?

Indicado en la materia

Por RAFAELA CRUZ.- Amelia Calzadilla explotó de indignación. Ocho minutos le bastaron para dejar sin otro argumento que el acrílico de sus uñas a una dictadura totalitaria como la cubana, con 62 años de experiencia en...

El Saturno castrista no deja de devorar

Indicado en la materia

Por ROBERTO ÁLVAREZ QUIÑONES.- "Es de temer que la revolución, como Saturno, acabará devorando a sus propios hijos." Esta frase se le atribuye a Georges-Jacques Danton, uno de los líderes de la Re...

Los contrarrevolucionarios están en el C

Indicado en la materia

Por ARIEL HIDALGO.- En un artículo anterior afirmaba que una revolución es una transformación radical de las estructuras de una sociedad y que, por tanto, hace más de 50 años que no...

LA SOCIOLOGIA CATOLICA Y EL CAPITALISMO

Indicado en la materia

  Por Santiago Cárdenas.- El liberalismo económico contemporáneo o neo liberalismo—de ahora en adelante el capitalismo—es la resultante de un largo viaje económico que comenzó, a decir de Ka...

La guerra de Putin contra Ucrania y el p

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Se dice que Rusia extenderá esta guerra hasta derrotar a Ucrania. Nada de esto será así. Después de la disposición norteamericana de entrar con 33 mil millones de...

Putin: ¿Nacionalista o Imperialista?

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Si la península de la Crimea era rusa y no ucraniana ¿por qué la propia Rusia la hizo formar parte de Ucrania cuando todas las repúblicas se se...