Un grupo numerosos de Damas de Blanco consigue asistir a misa este domingo 20 de Agosto en varias ci

Casi medio centenar de activistas del movimiento opositor Damas de Blanco en La Habana, ...

López Obrador insiste ante Peña Nieto en que cancelará la reforma educativa actual

Hay momentos en la vida política en los que la escenificación de ...

La oposición venezolana llama a un paro nacional contra las medidas económicas del régimen

La oposición venezolana convocó a un paro nacional para el martes 21 de ...

Rusia vuelve sin tanques a Europa central

Checoslovaquia, el país que invadieron los tanques del Pacto Varsovia hace ahora ...

VIAGEM DE JUNGMANN À COLÔMBIA INDICA ARTICULAÇÃO CONTRA MADURO

Sob o pretexto de discutir a segurança nas fronteiras, Raul Jungmann vai ...

A vitória da esquerda no México, um alerta para o Brasil? PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Miércoles, 04 de Julio de 2018 05:50

Por Juan Arias.-

vitória da esquerda no México, que governará o país pela primeira vez, é um alerta para as eleições presidenciais no Brasil.

Apoiadores comemoram a vitória de López Obrador no último domingo

Não porque López Obrador, o vencedor, possa ser comparado com qualquer dos candidatos brasileiros, nem mesmo com Lula, mas porque os problemas que ele prometeu resolver não são tão diferentes dos enfrentados pelo Brasil.

 

Os problemas reais e mais angustiantes da sociedade mexicana aparecem como um espelho das inquietudes que balançam o Brasil. Lá, os três pilares que o candidato de esquerda prometeu enfrentar foram: o medo de uma violência cada vez mais sangrenta, a corrupção que afeta grande parte da classe política e empresarial e uma pirâmide social cada vez mais desequilibrada por causa das desigualdades criadas pelos privilégios das elites.

Os problemas reais e mais angustiantes da sociedade mexicana aparecem como um espelho das inquietudes que balançam o Brasil. Lá, os três pilares que o candidato de esquerda prometeu enfrentar foram: o medo de uma violência cada vez mais sangrenta, a corrupção que afeta grande parte da classe política e empresarial e uma pirâmide social cada vez mais desequilibrada por causa das desigualdades criadas pelos privilégios das elites.

López Obrador, apesar de sua grande vitória, é um desconhecido para os analistas políticos nacionais e internacionais por seu caudilhismo e messianismo. Não há dúvida, no entanto, que com suas propostas de governo ele conseguiu convencer a grande maioria dos cidadãos a lhe dar sua confiança e eles o fizeram nas eleições mais pacíficas da história mexicana.

A receita de Obrador pode parecer simplista: combate à corrupção que, segundo ele, gerou o aumento da violência, uma das mais graves do continente. Corrupção e violência que, para o novo líder revolucionário, seriam as causas da grande desigualdade social do México, com 40 milhões de pessoas ainda vivendo na pobreza.

“Vou ouvir todos, mas dando preferência aos mais humildes e esquecidos”, resumiu assim sua promessa de combater a desigualdade social. Uma mulher na rua entendeu a mensagem e comentou: “Nunca pensei que viveria este momento em que nos dão uma oportunidade aos de baixo.” No México, como no Brasil, as oportunidades são uma iguaria para os que estão no topo.

López Obrador também conquistou o voto de milhões de jovens que, como escreveu Sonia Corona neste jornal, “são a geração do século XXI com necessidades e demandas diferentes das de seus pais e avós.” E uma dessas necessidades é a de uma vida política menos corrupta e mais próxima dos novos problemas de uma sociedade em profunda transformação. E uma sociedade onde se possa sair de casa com a certeza de poder voltar inteiro.

Novidade ou não, o desafio lançado pelo líder esquerdista Obrador foi ouvido por 53% dos eleitores, a maior votação em muitos anos no México. E o Brasil? Ignoro a leitura que os vários partidos da esquerda deste país, e especialmente o PT de Lula, estão fazendo da surpresa da vitória da esquerda mexicana. Uma coisa é certa, os pilares sobre os quais Obrador se apoiou para conquistar a sociedade farta de seus partidos de direita são os mesmos que hoje preocupam os cidadãos brasileiros: a corrupção, a insegurança e a luta por uma sociedade mais justa e mais igual. A esquerda brasileira apresenta, sem dúvida, uma sensibilidade maior que a direita em relação à angústia econômica e social da sociedade mais desamparada. O que se cabe perguntar é se os cidadãos brasileiros sentem, por parte da esquerda, essa mesma urgência em relação à corrupção e à violência. Deixar essas duas bandeiras nas mãos da extrema direita seria o suicídio da esquerda, que, como no México, teria hoje uma possibilidade de voltar ao poder. Não conseguirá sem ser tão clara quanto a direita no tocante ao que pretende fazer para regenerar a vida política e contra a violência que mancha de sangue inocente tanto ou mais que as guerras.

EL PAIS; ESPANHA

Última actualización el Domingo, 22 de Julio de 2018 02:16
 

Add comment


Security code
Refresh

La Constitución cubana y el socialismo i

Indicado en la materia

Por DIMAS CASTELLANOS.-  En la Convención que redactó la Constitución de 1901 el patriota cubano Juan Gualberto Gómez, en su condición de delegado, enfrentó un intento de esa índole con las si...

La nueva Constitución cubana, un instrum

Indicado en la materia

Por: Dr. Alberto Roteta Dorado.-  En los años iniciales de la llamada revolución cubana el dictador Fidel Castro utilizó para su conveniencia la premisa socialista respecto a la disposición de los me...

Facilitar la inversión extranjera... per

Indicado en la materia

Por EUGENIO YÁÑEZ.- Ante la incuestionable evidencia de que la inversión extranjera no fluye hacia Cuba ni en la cantidad imprescindible ni con la celeridad requerida, el Gobierno ha decidido modificar la...

Comienza la campaña electoral en Brasil.

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Las encuestas de opinión dan a Lula Da Silva el primer lugar con el 30-33% de las preferencias, un porcentual que es el tope de las preferencias ...

El impacto de López Obrador en el contex

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  López Obrador ha echado a andar una escenificación que los cubanos y venezolanos conocemos muy bien. Procura vestirse de oveja, cuando la “pata peluda” se le nota ...

La reforma constitucional cubana es “el

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Una reforma constitucional se hace normalmente para mejorar las relaciones en la sociedad, hacerla más eficiente, efectiva y mejorar el desarrollo de toda la nación. Nunca debe ha...

¿Habrá una chispa en Cuba como la hubo e

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Una de las tareas reservadas “con alevosía y premeditación” al nuevo “presidente” Díaz Canel es nada menos que la unión monetaria, que implicaría un cambio de moneda ...