Los tres hermanos holguineros ponen fin a la huelga de hambre

Los tres hermanos Adairis, Anairis y Fidel Miranda Leyva pusieron fin a la ...

Saquean en Colombia supermercados relacionados con la exguerrilla de la FARC

Varios locales de una cadena de supermercados que estaban en poder de ...

La alianza opositora MUD rechaza participar en las elecciones presidenciales de Venezuela

La coalición opositora Mesa de la Unidad Democrática (MUD) anunció este miércoles ...

Congresistas demócratas de EEUU tachan de 'erróneo y estúpido' el giro de Trump a la política hacia

Congresistas demócratas de EEUU encabezados por Patrick Leahy tacharon de "erróneo" y "estúpido" ...

Pobreza na Venezuela escala a 87%, graças à hiperinflação, diz estudo

A pobreza na Venezuela chegou a 87% da população em 2017, graças ...

STF rejeita pedido da AGU e mantém votação do impeachment no domingo PDF Imprimir E-mail
Escrito por Indicado en la materia   
Viernes, 15 de Abril de 2016 11:14

Supremo Tribunal Federal (STF) convocou sessão extraordinária nesta quinta-feira (14) para julgar cinco ações sobre a votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no plenário da Câmara dos Deputados. Os pedidos tentavam suspender ou alterar a ordem da votação estabelecida pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mas foram negados.

José Eduardo Cardozo no julgamento no STF, Supremo (Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo)

Com isso, a votação continua marcada para o domingo (17) e a forma e a ordem definidas por Cunha estão mantidas. Haverá alternância na votação entre bancadas estaduais, começando por uma da região Norte, seguida por outra do Sul e vice-versa. Votarão primeiro todos os deputados de Roraima e depois os do Rio Grande do Sul.

 

Em seguida será a vez dos parlamentares de Santa Catarina, Amapá, Pará, Paraná, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Rondônia, Goiás, Distrito Federal, Acre, Tocantins, Mato Grosso, São Paulo, Maranhão, Ceará, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Piauí, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Sergipe e Alagoas.

VEJA COMO FOI O JULGAMENTO NO SUPREMO

Ações julgadas na sessão
pedido para suspender a votação foi apresentado pela Advocacia-Geral da União(AGU), que questionava a análise das acusações contra a presidente pela comissão especial da Câmara, que aprovou relatório favorável à abertura do processo na segunda (11). Já o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) queria, além da suspensão, a anulação doparecer da comissão especial que recomendou a abertura do processo.

Três ações tentavam alterar a forma e a ordem definidas pelo presidente da Câmara, mas o Supremo validou o rito da votação – e a votação por ordem alfabética foi descartada. Os pedidos foram feitos pelo PCdoB e pelos deputados Weverton Rocha (PDT-MA) e Rubens Junior (PCdoB-MA).

Após o julgamento, que durou mais de sete horas, o presidente da Corte, RicardoLewandowski, afirmou que atos imputados a Dilma no processo de impeachment em curso no Congresso poderão ser contestados no STF.

"Que fique essa fundamentação na ata, que acabo de explicitar, para que essa questão da tipificação possa eventualmente ser reexaminada no momento oportuno", afirmou Lewandoski. "Não fechamos a porta para uma eventual contestação no que diz respeito à tipificação dos atos imputados à senhora presidente no momento adequado."

A declaração abre margem para o governo questionar se a abertura de créditos incompatíveis com a meta fiscal e as chamadas "pedaladas fiscais" são crime de responsabilidade – argumentos que justificaram a abertura do processo e a aprovação do parecer contra a presidente.

Mandado de segurança da AGU
O mandado de segurança apresentado pelo governo apontou prejuízos na defesa da presidente durante os debates. O documento argumentava que o colegiado analisou fatos que vão além das acusações recebidas pelo presidente da Câmara ao aceitar o pedido de impeachment - relativos a suspeitas levantadas na Operação Lava Jato, que investiga corrupção na Petrobras, por exemplo.

Quando acolheu a denúncia, Cunha levou em conta somente dois aspectos: a abertura de créditos incompatíveis com a meta fiscal – em decretos assinados por Dilma em 2015 não aprovados pelo Congresso – e as chamadas "pedaladas fiscais" – atrasos no pagamento ao Banco do Brasil para o crédito rural, também no ano passado.

O mandado de segurança protocolado pela AGU também apontava que Dilma não foi notificada para se defender na audiência que ouviu a advogada Janaina Paschoal e o ex-ministro Miguel Reale Júnior, autores da denúncia.

A AGU afirmou também que o advogado-geral da União substituto, Fernando Albuquerque, foi impedido de se manifestar para defender a presidente da República durante a leitura do relatório do deputado Jovair Arantes (PTB-GO).

Voto do relator
Relator da ação, o ministro Edson Fachin negou, em seu voto, o pedido do governo. O magistrado argumentou que, na decisão que redefiniu o rito do impeachment, em dezembro, o STF considerou que a Câmara somente autoriza a abertura processo – e, portanto, não haveria necessidade de defesa em todas as fases da tramitação.

“As diligências não se destinam a provar a procedência ou improcedência da acusação, mas apenas esclarecer a denúncia [...] Não se está a promover acusação, mas mera discussão sobre possível juízo de autorização para instauração de processo de impeachment", afirmou.

"Essa fase na Câmara era pré-processual, analogia mais próxima é à de um inquérito, do que um processo já judicializado. Se é equiparado ao inquérito, é uma fase em que o contraditório é mitigado", explicou depois Luís Roberto Barroso.

Demais ministros
Acompanharam Fachin todos os ministros presentes na sessão: além de Barroso, Teori Zavascki, Rosa Weber, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Ricardo Lewanwski. Não participou do julgamento o ministro Dias Toffoli, em viagem oficial à Romênia.

Durante o julgamento, os ministros fixaram que a análise pelo plenário da Câmara deverá levar em conta somente as acusações acolhidas por Eduardo Cunha – os decretos de créditos suplementares e as "pedaladas fiscais".

Presidente da Corte, Lewandowski votou também para retirar do processo documentos relativos a delações premiadas, como o acordo firmado pelo senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS).

Ordem da votação no domingo
Votaram para manter o critério estabelecido por Cunha (alternância entre estados do Norte e do Sul) Teori Zavascki, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e Celso de Mello. A alternância também obteve a concordância de Luís Roberto Barroso e Rosa Weber, mas numa ordem diferente entre os estados, considerando a latitude das capitais.

Os ministros Marco Aurélio Mello, Edson Fachin e Ricardo Lewandowski votaram para aplicar outra forma, para que fossem alternados não os estados, mas os próprios deputados, de modo que votasse primeiro um parlamentar do Norte e depois outro do Sul – e assim sucessivamente.

Ao comentar a decisão do Supremo, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, disse que a Corte "endossou" a decisão tomada por ele sobre o processo de impeachment. Ele também afirmou, ao comentar as ações julgadas no STF, que há uma tentativa "esperniante" de judicializar o processo.

"Eu acho que há uma tentativa de judicialização generalizada que é mais um esperniante, juros esperniante de quem está, aparentemente, sem voto. [Estão] Tentando buscar, com isso, alterar, mudar o processo, ou até postergá-lo", afirmou Cunha.

"Efeito cascata"
As ações dos deputados Weverton Souza (PDT-MA) e Rubens Júnior (PCdoB-MA), contrários ao impeachment, alegavam que a ordem estabelecida por Cunha levava a um "efeito cascata", na medida em que os últimos a votar tendem a acompanhar os primeiros, afetando a neutralidade do processo.

A maioria dos ministros da Corte, porém, entendeu que a forma e a ordem estabelecidas por Cunha segue o Regimento da Câmara e não contraria a Constituição. Relator das ações, Barroso disse preferir uma forma mais "aleatória" na votação, mas entendeu não haver problemas na interpretação das regras realizada pela Câmara.

"Embora eu não ache que seja melhor, não considero que essa opção seja incompatível com o que diz o regimento. Considero que essa interpretação é compatível com o dispositivo. Acho, no entanto, que aqui se aplica a ideia de deferência. Onde o Legislativo tenha decidido de forma razoável, não cabe ao Judiciário impor resolução que ache melhor", disse o ministro.

G1 GLOBO.COM

Última actualización el Miércoles, 20 de Abril de 2016 21:22
 

Comments  

 
0 #25 Maureen 2018-02-17 11:49
slot game
online casinos for us players: https://hotlistcasinogames.com/
vegas casino games
casinos online: https://hotlistcasinogames.com/
online casino
Quote
 
 
0 #24 Finn 2018-02-14 14:12
free online casino slots
casino games roulette: http://bom777casino.com/
casino online
top rated free online casino games: http://bom777casino.com/
online casino gambling
Quote
 
 
0 #23 Kenneth 2018-02-14 08:31
prescription weight loss pills
best diet pills: http://regimenforfeit.com/
pills to lose weight
metformin weight loss: http://regimenforfeit.com/
best diet pills
Quote
 
 
0 #22 Burton 2018-02-13 13:52
free online casino
casino online: https://hotlistcasinogames.com/
casino online free
casino casino: https://hotlistcasinogames.com/
slot online
Quote
 
 
0 #21 Mable 2018-02-12 17:54
vegas casino games
aol games free casino: http://casinoline17.com/
kasino
slot game: http://casinoline17.com/
best online casino
Quote
 
 
0 #20 Corina 2018-02-03 07:49
real money casino
online casino: http://casinobablogames.com/
real money casino
online slots: http://casinobablogames.com/
casino games
Quote
 
 
0 #19 Mohammed 2018-01-29 14:58
real money casino
casino online: https://hotlistcasinogames.com/
casino games
casino online: https://hotlistcasinogames.com/
casino online
Quote
 
 
0 #18 Karen 2018-01-29 06:59
payday loans no credit check
payday loans no credit check: https://smajloans.com/
payday loans
payday loans: https://smajloans.com/
payday loans online
Quote
 
 
0 #17 Priscilla 2018-01-25 05:37
casino online
real money casino: http://bablcasinogames.com/
casino games
casino online: http://bablcasinogames.com/
casino online
Quote
 
 
0 #16 Star 2018-01-22 01:40
payday loans online
payday loans no credit check: https://smajloans.com/
payday loans no credit check
payday loans online: https://smajloans.com/
payday loans online
Quote
 

Add comment


Security code
Refresh

Cuba: Educación, el buque insignia que s

Indicado en la materia

Por ROBERTO ÁLVAREZ QUIÑONES.-  Cuba tuvo un buen sistema educacional —ideología aparte— entre los años 60 y fines de los 80 del siglo pasado, según los estándares del Tercer Mundo. Se er...

LA LIBERTAD DE LA PATRIA.BASTA DE JUGAR

Indicado en la materia

Por Santiago Cardenas.- Hay que comenzar dando el ejemplo. Cero remesas.  De manera expedita, legal y estricta.Obligatoriamente. Toda vez que el instinto familiar es inefable e incontrolable, las  severas restricciones ...

De la Teología de la Liberación a la de

Indicado en la materia

Por FABIO RAFAEL FIALLO.-  Cuán amargo y frustrante debe de ser pasar la vida intentando cuadrar el círculo, pensando que la realidad habrá de corroborar nuestras más preciadas convicciones, comprobando luego qu...

La carta de un padre honrado

Indicado en la materia

Por FRANCISCO ALMAGRO DOMÍNGUEZ.-  Una carta abierta de tres sacerdotes católicos cubanos recorre la red. No es la primera vez que del clero, a título personal —ha aclarado la jerarquía—, alguien ejerce también su...

E-mail a Raúl protestando por el "suicid

Indicado en la materia

Por Jorge Hernandez Fonseca.- Coño Raúl, mi hermano, como es que me has hecho esto con Fidelito! En el infierno me llegan noticias complicadas sobre el “suicidio” que le has ...

Cuba ante EUA, UE y Rusia

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  En el actual contexto geopolítico la dictadura cubana tiene su tabla de salvación por partida doble. Esto da respiro al castrismo en el momento más crítico de lo...

Los cuatro retos del castrismo para 2018

Indicado en la materia

Por Jorge Hernández Fonseca.-  Tanto la situación social, como económica y material de Cuba y de Venezuela, por efecto de los métodos políticos dictatoriales, pudieran llegar a la explosión social y un...